Oficinas e Ementas
mais detalhes...

A Poesia de Cecília Meireles em Diálogo com a Tradição Ocidental.

Prof. Dr. Antony Cardoso Bezerra UFRPE/DL

Ementa: Nome-chave da poesia em Língua Portuguesa no séc. 20, Cecília Meireles (n. 1901; f. 1964) dialoga profusamente com a tradição ocidental, expressando referências da Literatura que a antecede e renovando os seus sentidos. Trata-se de uma marca usual em grandes poetas. Partindo dessa condição, propõe-se, por meio da leitura de uma mini antologia de dez poemas (retirados de obras diversas da autora), a reflexão sobre a presença da tradição ocidental na poesia de Cecília Meireles, bem como, sobretudo, a respeito das funções assumidas pelas alusões, citações etc. Tais atividades, que consistem, no fim de contas, num exercício de leitura, buscam seu lastro metodológico em exposições como as de Viviana Bosi et al. (2004), que dão conta da leitura crítica de poesia. Também a interlocução com escalas da não pequena fortuna crítica em torno da autora é realizada. Espera-se que, ao termo das atividades, aprimorem-se (a) o conhecimento da poetisa; (b) o entendimento do caráter dinâmico da tradição literária; (c) a leitura crítica do texto poético.

Poesia moçambicana de autoria feminina: Noémia de Sousa, Sónia Sultuane e Hirondina Joshua.

Prof.ª Dr.ª Vanessa Neves Riambau Pinheiro UFPB/PPGL

Ementa: O objetivo desta oficina é trazer aos estudantes e comunidade uma análise em perspectiva da produção lírica de autoria feminina realizada em Moçambique desde os movimentos para Independência. Neste sentido, nosso recorte contempla três autoras significativas de distintos contextos: em primeiro lugar, a chamada "mãe dos poetas moçambicanos", Noémia de Sousa, que teve um emblemático papel na afirmação da identidade moçambicana e que manifestou-se de maneira incisiva a respeito de questões de gênero e raça. Fora do contexto da Literatura de Combate, Sónia Sultuane, importante autora que desenvolve em sua lírica aspectos da subjetividade feminina e desmitifica estereótipos. Por fim, trazemos a jovem autora Hirondina Joshua, que desvincula-se de temáticas essencialistas para dar voz a uma lírica de grande autonomia estética e temática. Deste modo, através destas poetas, buscaremos traçar um panorama das diferentes facetas da literatura de autoria feminina produzida em Moçambique nas últimas décadas.

Poesia e ancestralidade na autoria feminina: Maria Firmina dos Reis, Carolina Maria de Jesus e Victoria Santa Cruz.

Ementa: O objetivo da oficina é evidenciar as tessituras das escritoras elencadas no que diz respeito à ancestralidade, pontuando o discurso poético tanto na questão ideológica quanto na sua estrutura do fazer literário.

Prof.ª M.ª Odailta Alves /Secretaria de Educação de Pernambuco

Comidas, Letras e Vozes D'áfrica no Brasil.

Prof.ª Dr.ª Rozelia Bezerra e Débora Santos UFRPE/LEHAL

Ementa: O Laboratório de Estudos de História da Alimentação e Literatura - LEHAL - tem se empenhado em realizar estudos literários com o objetivo de reconhecer o vocabulário e os patrimônios alimentares, além de despertar o gosto de ler. Uma das linhas de pesquisa envolve o estudo das COMIDAS, LETRAS E VOZES D'ÁFRICA NO BRASIL. Será sobre isso que esta Oficina se propõe a falar. Para tanto, o diálogo será com Maria Firmina dos Reis e Solano Trindade. Qual o vocabulário alimentar dessas letras?

Okàn Mimo: pelos afetos e grafias de literaturas afro-femininas. Introdução sobre como contar e fazer leituras dramatizadas para crianças, jovens e adultos.

Prof.ª M.ª Camila de Matos Silva UFPE/PPGL

Ementa: Introduzir técnicas de contação de histórias e leituras dramatizadas, bem como ensinar realizar recortes de textos longos para ficarem viáveis aos ouvintes/alunos/público em geral. Estimular a leitura de escritoras afro-brasileiras e resgatar a tradição da figura do contador de histórias.

Obs: o aluno deve levar: papel, caneta e/ou lápis, e um pano para sentar-se no chão.

A inserção da Literatura Infanto-Juvenil negra como um caminho para a Identidade de matriz afro-brasileira.

Prof. Esp. Rafael Barbosa de Assis
Instituto Veríssimo Coaching - IVC

Ementa: Discutir a importância da inserção e estímulo da literatura infanto-juvenil de contexto negro nos ambientes escolares, inclusive durante a formação no processo de letramento, como caminho para o conhecimento histórico-cultural de nossa ancestralidade afro-brasileira.

7· Um olhar queer sobre as temáticas visuais do gênero, do sexo e das performatividades de gênero na contemporaneidade.

Tainá Maívys da Silva, Camila Niedja e Antônio Barros PGH/UFRPE

Ementa: Nossa proposta pretende apresentar uma série de processos visuais construídos na contemporaneidade (ou seja, entre os séculos XX e XXI), abordando as representatividades de gênero, sexo e performatividades.